Imagem de Paz!

Imagem de Paz!
Foto da cachoeira do Sahy, Mangaratiba, RJ

domingo, 29 de dezembro de 2013

Mensagem de Natal!

Mateus 1:18 Ora, o nascimento de Jesus Cristo foi assim: Estando Maria, sua mãe, desposada com José, antes de se ajuntarem, achou-se ter concebido do Espírito Santo. 19 Então José, seu marido, como era justo, e a não queria infamar, intentou deixá-la secretamente. 20 E, projetando ele isto, eis que em sonho lhe apareceu um anjo do Senhor, dizendo: José, filho de Davi, não temas receber a Maria, tua mulher, porque o que nela está gerado é do Espírito Santo; 21 E dará à luz um filho e chamarás o seu nome JESUS; porque ele salvará o seu povo dos seus pecados. 22 Tudo isto aconteceu para que se cumprisse o que foi dito da parte do Senhor, pelo profeta, que diz; 23 Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, E chama-lo-ão pelo nome de EMANUEL, Que traduzido é: Deus conosco. 24 E José, despertando do sono, fez como o anjo do Senhor lhe ordenara, e recebeu a sua mulher; 25 E não a conheceu até que deu à luz seu filho, o primogênito; e pôs-lhe por nome Jesus.


É Natal, enfim Jesus nasceu?

Hoje comemoramos o nascimento do Messias, o Ungido do Senhor.
O momento que foi há muito tempo prometido e há muito esperado...

Apesar disso, esse momento ocorre quando poucos estavam atentos...

Jesus nasceu mas para decepção geral, não foi aquele a quem esperavam...
Seus contemporâneos esperavam um rei cheio de glória e fortemente armado para o combate, um rei que recolocasse a nação no patamar dos tempos de Salomão e Davi, que destronasse os tiranos e reinasse com justiça, sim a justiça segundo entendiam, justiça segundo os homens.

Então, surge um menino, nascido numa estrebaria (curral), filho de pobres, sem glamour algum, aprendiz de carpinteiro que jamais empunhara uma espada, a quem alguns diz ser o Enviado de Deus, o futuro rei de Israel...

Na sua juventude, se torna um jovem estranho demais para sua época que se dizia Filho de Deus, mas vestia-se como um andarilho,
Que se dizia santo mas andava com homens brutos e comia com pecadores.

Estava sempre acompanhado com a ralés e não nos palácios, sempre com pobres e nunca se banqueteando com os governantes...

Aparece um mestre esquisito que fala coisas que poucos entendem e que vez por outra choca sua platéia com perguntas difíceis de responder e ordens impossíveis de cumprir.


Sim, os seus compatriotas não estavam preparados para o Deus menino que em nada se comportava como a personificação do Deus Onipotente,

Não estavam preparados para um pregador da Paz que aconselhava a dar a outra face aos que os feriam, seguir os que os forçasse pelo caminho, levar as cargas dos seus opressores e perdoar os seus ofensores...

Não estavam preparados para um Senhor que ensinava o serviço não por obrigação mas por amor...


Jesus se despojou de seus traços reais para se parecer com aqueles a quem queria alcançar.

O Goel, o parente próximo o suficiente e legalmente habilitado a nos resgatar...

Aprendeu, como filho de carpinteiro que não existe defeito algum que não se possa corrigir.

 Ele mesmo levaria sobre si todos os nossos defeitos, todas as nossas culpas, todos os nossos pecados. Para isso, ele era experiente conhecedor da matéria que lhe serviu de Cruz.
O carpinteiro fora morto pela sua própria obra prima.

Jesus fora morto pela sua mais perfeita criação, a humanidade.

Ele, Jesus era

O mestre que ao ouvir um clamor, indagava com a simplicidade de uma criança:
que queres que eu te faça?

Mas como... Como responder essa questão, não se acreditava em sua ingênua pergunta, pois era evidente que as pessoas almejavam primeiramente as esmolas, visto ser impossível a um homem dar-lhes algo maior...

Quando acertadamente lhes respondiam ... Quero ver, quero andar, quero ser salvo,

Ele dizia:
 Vê,
 anda,
sê salvo
... pois a tua fé te salvou!


Era loucura demais Ter a Divindade com eles (o Emanuel -Deus conosco)

Não poderia ser tão simples assim!

Não, eles não podiam admitir que o Reino de Deus estava dentro de cada um e que a Liberdade prometida ia muito além de deixarem de ser escravos de Roma.

Jesus prometia uma libertação de si mesmo, do egoísmo, do querer ser o primeiro, do pecado que nos obriga a fazer o que sabemos ser errado.

Jesus, ensinava que o próximo era tão importante  como a si mesmo.
Ele não ensinava com suas palavras mas com suas atitudes.

Depois de repartir o pão, depois de curar os enfermos, depois de ressuscitar alguns mortos, depois de obedecer à Lei e honrar o seu Pai e Seu Deus, Ele completa a sua obra, dando a sua vida pelos seus amigos.

Sim, o mundo ainda hoje, não está preparado para esse Evangelho louco introduzido por Ele.

Hoje o mundo prefere acreditar na sorte das loterias para ser feliz,
Preferem honrar um velhinho vestido de trajes gloriosos, porque o verdadeiro dono do Natal não se importava com as aparências.

Preferem colocar presentes debaixo de uma árvore enfeitada, do que comungar nas verdadeiras ceias santificadas pelo Cristo.

Então, qual é mesmo o sentido do Natal?

Será que o aniversariante de hoje poderia fazer apenas um pedido!

Na verdade, Ele já fez:

"Um novo mandamento eu vos dou:
que vos ameis uns aos outros como a si mesmo.

Ele também disse:

Ide por todo esse mundo e anunciai esse evangelho a todas as pessoas, pois quem crer e for batizado será salvo...

Que evangelho?
O evangelho da simplicidade
O evangelho do amor
O evangelho da paz
O evangelho da comunhão

Que reconcilia o homem a Deus pelo seu sacrifício único que nos outorga o perdão e nos readmite à sua presença, lavados, justificados, regenerados e prontos para uma nova vida glorificada com o Cristo ressurrecto.


Deixe o Natal assumir o seu verdadeiro sentido no seu coração.

E a todos quanto o receberam, deu-lhes o direito de ser tornarem filhos de Deus.







terça-feira, 12 de novembro de 2013

Precisamos nos alimentar

Precisamos nos alimentar

Atos 27: 10
Dizendo-lhes: Senhores, vejo que a navegação há de ser incômoda, e com muito dano, não só para o navio e carga, mas também para as nossas vidas.
...
33 E, entretanto que o dia vinha, Paulo exortava a todos a que comessem alguma coisa, dizendo: É já hoje o décimo quarto dia que esperais, e permaneceis sem comer, não havendo provado nada. 34 Portanto, exorto-vos a que comais alguma coisa, pois é para a vossa saúde; porque nem um cabelo cairá da cabeça de qualquer de vós. 35 E, havendo dito isto, tomando o pão, deu graças a Deus na presença de todos; e, partindo-o, começou a comer.

Porque Deus nos criou com algumas necessidades?

Porque precisamos nos alimentar?

Porque o nosso corpo não fabrica seu próprio alimento?

Alguns princípios biológicos, químicos e físicos, e fisiológicos indicam uma similaridade com a vida espiritual.

Tudo que acontece na vida terrena é uma representação de algo maior na vida espiritual

Nada acontece por acaso.

Se o corpo físico necessita de alimento, o espiritual também.
O que muda é o tipo de alimento.

Para aguentar o desgaste fisiológico de uma viagem é preciso se alimentar e muito bem!

Na estrada da vida também se precisa de alimento.

Precisamos nos alimentar pois somos limitados

A limitação humana nos indica necessidades, dentre muitas a de se alimentar

Texto: (Jo. 4:19-38)
Jesus se alimentava... Alimentos materiais e alimentos espirituais.

Ele sabe das nossas limitações e necessidades

Joao 21:  9 Logo que desceram para terra, viram ali brasas, e um peixe posto em cima, e pão.


"... Uma comida tenho para comer, que vós não conheceis.” “...A minha comida consiste em fazer a vontade daquele que me enviou a realizar a sua obra...”


A falta de apetite indica uma possível enfermidade...  Ex. Crianças com vermes... Ou com o bucho cheio de doces (alimento irregular)

Que tipo de comida você tem se alimentado?

Algumas pessoas tem se alimentado

Com o doce do pecado
Depressão
Medo
Vergonha

Esse alimento não traz sustento.


Elias esteve sem apetite...  Veja 1 Rs19. 5.
E deitou-se, e dormiu debaixo do zimbro; e eis que então um anjo o tocou, e lhe disse: Levanta-te, come. 6 E olhou, e eis que à sua cabeceira estava um pão cozido sobre as brasas, e uma botija de água; e comeu, e bebeu, e tornou a deitar-se.
7 E o anjo do SENHOR tornou segunda vez, e o tocou, e disse: Levanta-te e come, porque te será muito longo o caminho. 8 Levantou-se, pois, e comeu e bebeu; e com a força daquela comida caminhou quarenta dias e quarenta noites até Horebe, o monte de Deus. 9 E ali entrou numa caverna e passou ali a noite;

Enquanto que o alimento terreno é finito, o alimento espiritual, vindo de Deus é eterno.

Em João 6: 32 Disse-lhes, pois, Jesus: Na verdade, na verdade vos digo: Moisés não vos deu o pão do céu; mas meu Pai vos dá o verdadeiro pão do céu. 33 Porque o pão de Deus é aquele que desce do céu e dá vida ao mundo. 34 Disseram-lhe, pois: Senhor, dá-nos sempre desse pão. 35 E Jesus lhes disse: Eu sou o pão da vida; aquele que vem a mim não terá fome, e quem crê em mim nunca terá sede.


Amados,

Somos limitados!
Nosso corpo precisa de alimento mas nosso espírito também.
Foi pensando nessa necessidade que Deus prescreveu algumas normas.
Devemos ter cuidado com o que comemos pois alguns alimentos mais fazem mal do que bem.

Para saciar o Nosso corpo espiritual, o Senhor instituiu uma refeição.
A ceia do Senhor, da qual participaremos é muito mais que uma reunião, um ajuntamento solene. É o momento em que nos alimentamos juntos porque tivemos forças para chegar até aqui.
Chegamos até aqui, porque, de alguma forma nos alimentamos antes em nossas casas, no nosso momento a sós com Deus.

E, hoje, aja o que houver, aconteça o que acontecer não perca a oportunidade de cear, pois a caminhada ainda será muito longa!

domingo, 1 de setembro de 2013

Receita de um casamento feliz Um casamento feliz não se compra numa loja e nem se encontra na internet. Foi observando a minha esposa preparando um bolo, ( e isso ela faz com muita perfeição) que me veio à mente, esta ideia. A massa do bolo é composta de alguns ingredientes essenciais. O trigo, os ovos, a manteiga, o açúcar, o sal, o fermento, o fogo e o tempo. Cada um é acrescentado numa quantidade e num tempo exato. Todos, exatamente numa exata proporção. Não seguir essa receita pode estragar todo o bolo. Há quem pense que se copiar essa receita, conseguirá fazer um bolo perfeito, eu duvido! Existe a lei do aprendizado. Só se consegue chegar ao ponto ideal quem, observou outras cozinheiras preparando essa massa. Existem alguns que até conseguiram chegar lá, mas o que estragaram de massa. Quanto desperdício! Num casamento feliz também é assim! Todos sabem que alguns ingredientes são essenciais, mas será que sabem o momento de os misturar? Casamento é um composto de amizade, cumplicidade, alegria, amor, diálogo, sexo, paciência, fidelidade e prosperidade. São só estes, claro que não! Mas já ajuda a fazer um casamento muito feliz! Cada um ingrediente, no tempo exato! Nem mais e nem menos! É só isso? Não! Casamento, assim como um bolo perfeito se aprende com quem faz certo! Quantos casamentos de sucesso e por quê não ouvir desses cozinheiros suas experiências? Tudo no tempo certo e na temperatura adequada. O fogo deve ser dosado pois em excesso queimará o bolo e se for fraco demais solará toda a massa. Lembre-se: A receita de um casamento feliz requer cuidado e fidelidade e as demais coisas, O tempo completará! Felicidades no seu casamento Por Israel e Ana Lúcia (líderes de casais do Casados para Sempre)

terça-feira, 16 de julho de 2013

O profeta e o deserto

"E o menino crescia e se fortalecia em espírito; e viveu nos desertos até o dia em que havia de mostrar-se a Israel (Lc 1:80) Após me emocionar com este primeiro capítulo do livro de Lucas, senti uma vontade enorme de compartilhar com vocês algumas considerações. Todos sabem quem foi João Batista. Jesus declarou que o mesmo era o "Elias" que havia de vir. Acrescentou que nunca houve dentro os nascido de mulher, alguém maior que ele. Pois bem, 1) João não teve um ministério duradouro na terra, pois, assim que Jesus começa o seu ministério, ele é degolado por Herodes; 2) o versículo acima diz que ele viveu nos desertos... Daí o ápice de minha reflexão: No deserto, João Batista crescia e se fortalecia no espírito. Ao contrário da maioria dos profetas atuais, o precursor de Jesus Cristo, o anunciador de Boas Novas, o verdadeiro evangelho não se preocupava com estar no meio da multidão e nem com a atenção das pessoas. Uma das poucas vezes que chamou a atenção das pessoas foi para declarar enfaticamente: "eis o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo!" Aleluia! Meu amado, quero chamar a sua atenção agora para o fato de que o deserto é a melhor escola de profetas da atualidade. Não o deserto físico mas aquele estado de espírito ao qual nós somos conduzidos seja pelas circunstâncias, seja pela necessidade ou até mesmo pela Espírito Santo. Há uma caminhada rumo ao ápice de todo ministério e o deserto está no meio dele. Um dia, chegará o momento sublime da realização ministerial em que a nossa pregação cumprirá o seu desígnio: "apresentar o cordeiro de Deus que tirará o pecado do mundo!" Amém! (Por Israel Gomes da Silva, direto do deserto)

segunda-feira, 15 de julho de 2013

O Desafio da mesa do Senhor, 
(por Júlio Andrade Ferreira)



Quem marca o dia da Santa Ceia? O comungante? Não. A igreja, através de suas autoridades.
Ora, a Escritura diz que, em face do Sacramento o que o crente tem de fazer é examinar-se a si mesmo, e tomar a Ceia.
Tem havido, em nossos meios, uma falsa compreensão do papel da Santa Comunhão.
Freqüentemente ouço que esta ou aquela pessoa não participou da Ceia, porque não estava em condições de fazer tal coisa. Se está entregue à discrição do crente o participar ou não participar da Mesa, então que valor tem ela?
Quem de nós está, em última instância, em condições de tomá-la, senão porque os pecados perdoados em Cristo? Só conheço, à luz da Bíblia, uma sorte de pessoas em condições de tomar a Santa Ceia: são os arrependidos.
Sim: arrependidos, crentes, perdoados.
À luz desse evangelho, a atitude atrás referida, de pessoas que se abstém da Ceia, por não estarem em condições, é completamente falsa. A Ceia é oferecida a pecadores e não a santos. Pecadores arrependidos, certamente, mas nada há que impeça uma pessoa de arrepender-se de pôr-se em condições de tomar da Comunhão.
Esse é, exatamente, o desafio da Santa Ceia, proposto pela comunidade da fé à Igreja, à consciência do crente. Usando uma comparação, eu diria que não se trata de uma conta que possamos protelar, sine die. Não; é antes como um título bancário, cujo resgate está fixado para um dia certo. Ante o desafio referido, examine-se cada qual, e tome...

Qual é pois, a função da Santa Ceia? A de um balanço nas contas, a de uma limpeza na casa, a de um banho no corpo... Isso tudo não pode ser adiado, segundo interesses pessoais em graves prejuízos. Assim, a nossa acomodação ao pecado. Ai de nós se condições comunitárias não viessem ao nosso encontro, auxiliando-nos através do desafio à consciência, a restabelecer a comunhão com Deus. Arrependimento e perdão são duas faces dessa moeda.

Mas se estiver o crente com relações cortadas com alguém, e as condições forem tais que não se possa pedir perdão ao ofendido antes da ocasião da Ceia? Não sei por que tal pergunta ocorre com tanta freqüência. Tenho sempre respondido com uma contra-pergunta: e se o ofendido morreu? Nesse caso, não mais se toma comunhão? A questão fundamental é de relação com Deus; quanto às relações com o próximo, certamente se hão de resolver quando estamos bem com Deus. O Deus dos cristãos é Cristo. Cristo se faz presente em nosso coração e em nossa vida, através da Ceia que Ele mesmo ordenou para nosso bem espiritual. Certo que a interpretação verdadeira da Ceia não é os malabarismo lingüísticos da transubstanciação, nem tão pouco a obscura consubstanciação, nem a diluída idéia de simples memorial. É sim, a grandiosa afirmação da presença real de Cristo.
(... Não nos elementos pão e vinho mas, no meio da igreja- grifo meu, Pr. Israel)

Texto extraído do Livro Antologia Teológica, pp. 591 e 592 - Autor: Julio Andrade Ferreira, Editora Novo Século

sexta-feira, 24 de maio de 2013

A Sarça ardente e a Chama do Amor


Exodo 3: 1 E apascentava Moisés o rebanho de Jetro, seu sogro, sacerdote em Midiã; e levou o rebanho atrás do deserto, e chegou ao monte de Deus, a Horebe. 2 E apareceu-lhe o anjo do SENHOR em uma chama de fogo do meio duma sarça; e olhou, e eis que a sarça ardia no fogo, e a sarça não se consumia. 3 E Moisés disse: Agora me virarei para là, e verei esta grande visão, porque a sarça não se queima. 4 E vendo o SENHOR que se virava para ver, bradou Deus a ele do meio da sarça, e disse: Moisés, Moisés. Respondeu ele: Eis-me aqui. 5 E disse: Não te chegues para cá; tira os sapatos de teus pés; porque o lugar em que tu estás é terra santa. 

Existem situações na vida que bem retrata uma bifurcação do caminho, uma encruzilhada, uma decisão que precisa ser tomada. Este caminho a seguir ou essa decisão a ser tomada pode nos direcionar à felicidade ou infelicidade, por isso necessitamos seguir com responsabilidade.

O episódio da sarça ardente e Moisés tendo que tirar suas sandálias pode também ser apreendida como o momento em que "o amor" se nos apresenta.
O amor também é retratado pelos poetas como chama ardente, porque não visualizarmos ele neste episódio, o da sarça?

O momento foi determinante na vida de profeta de sucesso de Moisés e, como pisamos no solo do amor também é determinante na vida conjugal. 
Para contemplar a sarça ardente, Moisés teve que descalçar os seus pés e para se entrar no casamento e viver em felicidade precisamos descalçar os sapatos da  individualidade. A felicidade deve ser compartilhada e só existe amor verdadeiro onde partilhamos tudo e todos os momentos. 
Assim como a terra onde a sarça ardia por causa da presença de Deus era santa, assim o casamento, esse solo onde Deus se apresenta a nós, é santo. 

Qualquer coisa ou situação, além de nosso coração, torna o casamento profanado e, por isso devemos lançar para longe de nós.


(Texto redigido após assistir ao filme "E se...você tivesse uma nova chance?" - Fica a dica!).      Israel, um congregacional.

segunda-feira, 4 de março de 2013


Porque você é discípulo de Jesus?

Em joão 6. 26, temos um dos mais duros discursos de jesus.
" na verdade, na verdade vos digo que me buscais não pelos sinais que vistes, mas porque comestes do pão e vos saciastes.

Estas duras palavras não são de um pastor estressado. Não partiram depois de algumas críticas a seu trabalho no campo. Foram ditas pelo maior de todos os mestres em plena atividade ministerial.

O homem, de uma forma em geral não está interessado nas coisas espirituais porque ele é carnal. (1corintios 3:3)

O homem busca, luta, se esforça até o momento em que se sacia.

É comum encontrarmos pessoas que lutam muito, se esforçam muito, chegando até muitas vezes nos impressionar. 
Mas é só alcançarem o que desejam e, pronto...estacionam.

Jesus se deparou com esse tipo de gente.

Quando Jesus identifica e expõe essa gente, o número de seus discípulos.  Diminui. (Vers. 60)

Jesus até pergunta se os demais discípulos também queriam deixá-lo.

A verdade, nua e crua traz um divisor na vida cristã.

Ou você admite quem vc é ou vai correr o risco de viver uma vida de frustração.

Quando estamos saciados somos crentes, quando o alimento não vem, abandonamos a fé.

Somente a maturidade espiritual e a experiência  que  não se baseia em necessidades materiais ma, no amor despretensioso pode fazer ecoar a resposta de PEdro: "para quem iremos nós? Só tu tens a Palavra da vida eterna."
Somente quem assimilou corretamente os ensinamentos do mestre pode entender que nem só do pão viverá o homem mas de toda a palavra de Deus (mateus 4:4)

Amados precisamos buscar as bênçaos sim, mas a palavra ainda é o melhor alimento. Ela nos prepara para a eternidade.

O conselho do mestre dos mestres ainda é o mesmo: "trabalhai não pela comida que perece, mas pela comida que permanece para a vida eterna a qual o Filho do Homem vos dará, porque a este o Pai, Deus, o selou. (João 6:27)


Porque você é discípulo de Jesus?

Em joão 6. 26, temos um dos mais duros discursos de jesus.
" na verdade, na verdade vos digo que me buscais não pelos sinais que vistes, mas porque comestes do pão e vos saciastes.

Estas duras palavras não são de um pastor estressado. Não partiram depois de algumas críticas a seu trabalho no campo. Foram ditas pelo maior de todos os mestres em plena atividade ministerial.

O homem, de uma forma em geral não está interessado nas coisas espirituais porque ele é carnal. (1corintios 3:3)

O homem busca, luta, se esforça até o momento em que se sacia.

É comum encontrarmos pessoas que lutam muito, se esforçam muito, chegando até muitas vezes nos impressionar. 
Mas é só alcançarem o que desejam e, pronto...estacionam.

Jesus se deparou com esse tipo de gente.

Quando Jesus identifica e expõe essa gente, o número de seus discípulos.  Diminui. (Vers. 60)

Jesus até pergunta se os demais discípulos também queriam deixá-lo.

A verdade, nua e crua traz um divisor na vida cristã.

Ou você admite quem vc é ou vai correr o risco de viver uma vida de frustração.

Quando estamos saciados somos crentes, quando o alimento não vem, abandonamos a fé.

Somente a maturidade espiritual e a experiência  que  não se baseia em necessidades materiais ma, no amor despretensioso pode fazer ecoar a resposta de PEdro: "para quem iremos nós? Só tu tens a Palavra da vida eterna."
Somente quem assimilou corretamente os ensinamentos do mestre pode entender que nem só do pão viverá o homem mas de toda a palavra de Deus (mateus 4:4)

Amados precisamos buscar as bênçaos sim, mas a palavra ainda é o melhor alimento. Ela nos prepara para a eternidade.

O conselho do mestre dos mestres ainda é o mesmo: "trabalhai não pela comida que perece, mas pela comida que permanece para a vida eterna a qual o Filho do Homem vos dará, porque a este o Pai, Deus, o selou. (João 6:27)

João 15: 16 Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao Pai ele vo-lo conceda

Escolhidos

Nomeados

Propósito : dar frutos

Durabilidade

Só então Deus concederá o que pedirmos, em nome de Jesus

Vivemos o auge da capacidade humana. 
Currículos sobre currículos
Pessoas se colocam numa vitrine a fim de serem escolhidas por outras.
Há uma busca frenética por aceitação.
Ninguém gosta de ser preterido.

O que Jesus leva em conta para escolher alguém?

R:  Graça .... Em valores humanos:  nada

Efésios 2:

4 Mas Deus, que é riquíssimo em misericórdia, pelo seu muito amor com que nos amou, 5 Estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos), 6 E nos ressuscitou juntamente com ele e nos fez assentar nos lugares celestiais, em Cristo Jesus; 7 Para mostrar nos séculos vindouros as abundantes riquezas da sua graça pela sua benignidade para conosco em Cristo Jesus. 8 Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. 9 Não vem das obras, para que ninguém se glorie; 10 Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas.


Ex. 2: 23 E aconteceu, depois de muitos dias, que morrendo o rei do Egito, os filhos de Israel suspiraram por causa da servidão, e clamaram; e o seu clamor subiu a Deus por causa de sua servidão. 24 E ouviu Deus o seu gemido, e lembrou-se Deus da sua aliança com Abraão, com Isaque, e com Jacó; 25 E viu Deus os filhos de Israel, e atentou Deus para a sua condição.

Ex. 3: 6 Disse mais: Eu sou o Deus de teu pai, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque, e o Deus de Jacó. E Moisés encobriu o seu rosto, porque temeu olhar para Deus. 7 E disse o SENHOR: Tenho visto atentamente a aflição do meu povo, que está no Egito, e tenho ouvido o seu clamor por causa dos seus exatores, porque conheci as suas dores. 8 Portanto desci para livrá-lo da mão dos egípcios, e para fazê-lo subir daquela terra, a uma terra boa e larga, a uma terra que mana leite e mel; ao lugar do cananeu, e do heteu, e do amorreu, e do perizeu, e do heveu, e do jebuseu. 9 E agora, eis que o clamor dos filhos de Israel é vindo a mim, e também tenho visto a opressão com que os egípcios os oprimem. 10 Vem agora, pois, e eu te enviarei a Faraó para que tires o meu povo (os filhos de Israel) do Egito. 11 Então Moisés disse a Deus: Quem sou eu, que vá a Faraó e tire do Egito os filhos de Israel? 12 E disse: Certamente eu serei contigo; e isto te será por sinal de que eu te enviei: Quando houveres tirado este povo do Egito, servireis a Deus neste monte.

Tem muita gente que acha que ser crente é sofrer, sofrer e sofrer.
Eu não acredito nessa teologia do sofrimento. Ainda que no mundo teremos aflição, mas no geral a nossa vida não é apenas de sofrimento.

O povo de Israel quando desce o Egito (por autorização de Deus, foi para não sofrer de fome) ex 26 : 2 E falou Deus a Israel em visões de noite, e disse: Jacó, Jacó! E ele disse: Eis-me aqui. 3 E disse: Eu sou Deus, o Deus de teu pai; não temas descer ao Egito, porque eu te farei ali uma grande nação. 4 E descerei contigo ao Egito, e certamente te farei tornar a subir, e José porá a sua mão sobre os teus olhos.

Foi prá não sofrer nas mãos de Herodes que um anjo manda José levar para o Egito o próprio filho de Deus.

Mt 2 : 13 E, tendo eles se retirado, eis que o anjo do Senhor apareceu a José em sonhos, dizendo: Levanta-te, e toma o menino e sua mãe, e foge para o Egito, e demora-te lá até que eu te diga; porque Herodes há de procurar o menino para o matar. 14 E, levantando-se ele, tomou o menino e sua mãe, de noite, e foi para o Egito. 15 E esteve lá, até à morte de Herodes, para que se cumprisse o que foi dito da parte do Senhor pelo profeta, que diz: Do Egito chamei o meu Filho. 

O maior problema não é descer ao Egito para se esconder... O problema é acostumar- se no Egito.

No texto de Exodos, o próprio Deus relata que só começa a agir depois que o povo resolve clamar a ele.

A jeremias Deus diz: "clama a mim e responder-te-ei"

Não é preciso sofrer calado... Clame ao Senhor que Ele responde.

O marido não muda... Clame a Deus.
Os filhos não obedecem, clame a Deus.
O dinheiro tá curto, clame...
O pecado tá te seduzindo, clame...
A tristeza tá dentro do coração clame

Clame, clame que o Senhor desce para te socorrer...

Lucas cap. 24: 13 E eis que no mesmo dia iam dois deles para uma aldeia, que distava de Jerusalém sessenta estádios, cujo nome era Emaús. 14 E iam falando entre si de tudo aquilo que havia sucedido. 15 E aconteceu que, indo eles falando entre si, e fazendo perguntas um ao outro, o mesmo Jesus se aproximou, e ia com eles. 16 Mas os olhos deles estavam como que fechados, para que o não conhecessem. 

Dois discípulos:
A) falando entre si sobre o que havia acontecido - quantas pessoas  falam do que aconteceu no culto durante a semana, será preciso haver tristezas?

Eles já ouviram da ressurreição, mas optaram por não crer

B) estavam tristes...
A tristeza impede de ver as coisas acontecerem, ela neutraliza a fé e impede que se vejam os milagres de Deus com clareza,

A falta da esperança faz-nos andar para trás
Não crer significa recusar-se a ter esperança

C) chamaram a atenção de Jesus
A dúvida desses dois discípulos logo é tirada quando ambos participam da ceia do Senhor com Ele. 
A melhor coisa para abrir os olhos e ver o milagre acontecer é estar na Comunhão com o Senhor e sua igreja.

A falta da esperança faz-nos andar para trás
Não crer significa recusar-se a ter esperança.

Jesus Cristo estava ali, bem perto deles, ainda que eles estivessem tristes, ainda que não pudessem ver, ainda que não cressem.
O nosso Salvador vive e isso não depende da minha ou da tua fé. É fato!

A sua ressurreição prova a fidelidade de Deus que nos prometeu que viveríamos com Ele para sempre.



.

Encontros e desencontros

Encontros e desencontros - Realidades na vida de todos os homens

Em Genesis 4: E aconteceu ao cabo de dias que Caim trouxe do fruto da terra uma oferta ao SENHOR. 4 E Abel também trouxe dos primogênitos das suas ovelhas, e da sua gordura; e atentou o SENHOR para Abel e para a sua oferta. 5 Mas para Caim e para a sua oferta não atentou. E irou-se Caim fortemente, e descaiu-lhe o semblante. 6 E o SENHOR disse a Caim: Por que te iraste? E por que descaiu o teu semblante? 7 Se bem fizeres, não é certo que serás aceito? E se não fizeres bem, o pecado jaz à porta, e sobre ti será o seu desejo, mas sobre ele deves dominar. 

Neste texto podemos ver dois cenários...

Abel - oferta aceita. Expectativa confirmada -encontro

Caim- oferta  não aceita -expectativa não concretizadas.

Caim - vida de desencontros
Abel -vida de encontros

Encontros nos levam a benção e os desencontros redundam em tribulação.

A benção é quando a providencia divina encontra com a nossa necessidade.

Para que a benção seja benção ela precisa ir de encontro a alguma necessidade.

Exemplo de bencãos...              X.      Ciladas, prova
Um namorado.           X.     Dois ou mais interessados...  (((Ta amarrado))
Um emprego.        X.   Vários trabalhos

Uma pessoa com fome -comida é bênção
Uma pessoa saciada - comida embrulha até o estômago. 
Proverbios 27:  7 A alma farta pisa o favo de mel, mas para a alma faminta todo amargo é doce. 

A necessidade é o dosador da bênção de Deus. É como um termóstato que se liga tão logo haja uma necessidade e aciona a providência divina em favor do crente fiel.

Talvez vc esteja diante de uma prova em que sua oferta não chamou a atenção do teu Senhor, seu trabalho não tenha sido reconhecido mas, fique calmo, amanhã será um novo dia.

Uma rejeição hoje não indica derrota e sim necessidade de melhorar. 

Veja o conselho de Deus a Caim em 
Gn 7. 7 Se bem fizeres, não é certo que serás aceito? E se não fizeres bem, o pecado jaz à porta, e sobre ti será o seu desejo, mas sobre ele deves dominar. 

Infelizmente Caim não ouviu as palavras do seu Senhor e, escolheu agir por impulso.
Tornou-se maldito, fugitivo e vagabundo...

Gn 7: 11 E agora maldito és tu desde a terra, que abriu a sua boca para receber da tua mão o sangue do teu irmão. 12 Quando lavrares a terra, não te dará mais a sua força; fugitivo e vagabundo serás na terra.

Vivamos uma vida de encontros como Abraão, Isaque, José e Davi... Esses homens tinham vários motivos para agir por seus impulsos mas escolheram aguardar a providência de Deus ir de encontro às suas necessidades.
Abrãao poderia dizer não a Deus, poderia dizer não a seu sobrinho Ló, etc...
Isaque poderia brigar por causa de seus poços que foram tomados e fechados....
José poderia tirar proveito de seus dons, poderia se vingar de seus irmãos...
Davi poderia a acabar com a vida de Saul que sempre procurava o seu mal...
Você pode tomar nesta noite uma decisão que te conduzirá a uma vida de encontros ou de desencontros...