Imagem de Paz!

Imagem de Paz!
Foto da cachoeira do Sahy, Mangaratiba, RJ

sábado, 25 de fevereiro de 2012

Viagem ao deserto


Viagem ao Deserto

O               Um dia desses eu estava meditando, sobre o povo hebreu, sua cultura, suas riquezas, suas muitas batalhas, derrotas e vitórias e, senti-me impulsionado a refletir sobre esta região que abrange o plano físico e o plano espiritual. (meta-físico), “o deserto”.
               Há milhões de coisas que se podem dizer sobre o deserto, como não poderia relacioná-las todas nesta reflexão, ater-me-ei em comentar algumas delas, observadas na história do povo de Israel, o povo escolhido por Deus, para perpetuar o seu nome na Terra.

1 -  A primeira vez que a Bíblia menciona a palavra deserto, é Gn. 14. 6, e fala sobre os horeus que habitavam no monte Seir, até El-Parâ que está junto ao deserto. Há moradas no deserto

2 -  Em Gn 16.7, diz que um anjo encontrou Hagar junto a uma fonte no deserto. No deserto há fontes.

3 - Em Gn. 21.14 , diz que Hagar caminhou errante para o deserto. O deserto é a estrada daqueles que perdem tudo, daqueles que estão triste, daqueles que não tem esperança.

4 - Em Gn 21. 20-21, diz que Ismael morou no deserto, e nele ganhou forças, cresceu e tornou-se flecheiro e se casou. No deserto pode-se frutificar.

5 - Em Gn. 36.24,  Anás achou as fontes termais no deserto, quando apascentava os jumentos de Zibeão, seu pai. Fontes de águas quentes, de uso medicinal. No deserto pode ser encontrado o remédio para nossa dor

6 - Em Gn. 37.22, Os irmãos de José o lançaram numa cova que estava no deserto. Quando algo nos incomoda nós fazemos o mesmo, o lançamos no deserto do esquecimento tentando nos livrar dele.

5 - Em Ex. 3.1, Moisés no deserto, (Monte Horebe) teve seu primeiro encontro com Deus. Foi ali que Deus se revelou como o grande “Eu Sou”. A maioria de nós só temos um primeiro encontro com Deus quando nos encontramos no deserto.

6 - No vers. 18, Deus orienta a Moisés a levar o povo ao deserto para oferecer-lhe sacrifícios. Muitos de nós não entra no deserto para sacrificar a Deus. Detalhe ao entrarmos no deserto, não é suficiente caminhar só um dia. Assim como o povo, precisamos insistir em pelo menos três. Isso fala da perseverança do cristão. Devemos esperar com paciência no Senhor, para depois, Ele ouvir o seu clamor!

7 - Em  4. 27, Deus ordena a Arão que vá ao encontro de seu irmão Moisés, no deserto. Deus continua ordenando-nos a irmos ao encontro de nossos irmãos, quando estes estiverem no deserto.

8 - Em 5.1 e 3,  vemos Moisés pedir a  Faraó, que libere seu povo para  celebrar festa ao Senhor, no deserto. Não importa quem tenha autoridade sobre nós, festejar ao Senhor é sempre o dever maior. Talvez seja no deserto que o festejamos melhor.

9 - Em Ex. 7.16 vemos Moisés insistindo com Faraó para deixar o povo ir ao deserto. Isso nos fala sobre a insistência que devemos ter para adorar ao Senhor. Ainda que o tempo seja o nosso faraó, devemos insistir com ele a fim de entrarmos no deserto para louvar ao Senhor.

10 - Em Ex. 8.27 e 28, vemos a proposta indecente de Faraó. o povo pode ir ao deserto mas não muito longe. Na verdade quando entramos no deserto, devemos estar consciente de irmos até ao final. Ir ao deserto é uma ida para um outro lugar. Pois depois do deserto está a terra que mana leite e mel. Só a alcança quem vai até o final do deserto.

11 - Em Ex. 13.18-20, vemos o povo partir armados para a caminhada ao deserto. Depois eles param diante do mar. O Senhor os guiou de dia numa nuvem e à noite numa coluna de fogo. Quando entrares no deserto, o Senhor vos guia, seja noite ou seja dia. Ele estará convosco.

12 - Em Ex.14.3, faraó pensa que o povo estava embaraçado no deserto. Assim, o nosso inimigo, vendo-nos no deserto, pensa que estamos perdido, derrotados, enfraquecidos, mas é lá no deserto que nos tornamos fortes. É no deserto que Jeová Sabaoth guerreia por nós.

Para resumir,  é no deserto que o incrédulo e fraco cristão murmura contra a providência divina. (Ex. 14.11-12);
É no deserto que nossa fidelidade a Deus é provada. É lá, no deserto que perdemos nossas armas, nossas riquezas, nossa bagagem, nosso conhecimento. É lá que somos confrontados com a fé. É lá que nos sentimos fracos. É no deserto que nos sentimos sós, sentimos sedes, fomes, e nos esvaziamos das impurezas. É lá que o Senhor prova o seu povo, é lá que conhecemos a Deus, é no deserto que experimentamos a Deus, temos comunhão com Deus. É lá que o Senhor nos separa para um ministério. É no deserto que o Senhor providencia a água que extermina, de uma vez por toda, a sede. É no deserto que somos mais abençoados por Deus. É lá no deserto, que passamos a ter intimidade com Deus. É lá que amadurecemos e é lá que alcançamos vitória contra nós mesmos, contra o  mundo e contra o diabo.
Entremos no deserto e busquemos ao Senhor, pois Ele é galardoador daqueles que o buscam.

                                                                             Israel Gomes da Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este comentário não é de responsabilidade do autor do texto, não refletindo a sua opinião.